terça-feira, 4 de agosto de 2009

canção da chuva

Por essa chuva a cair lá fora
Por essa luz que já enche o ar
Por essa noite que se demora
E não quer passar

Por essa voz a chamar no escuro
Pela canção que vem do mar
Pelas palavras que não procuro
Nem quero achar

Por quem se aproxima sem ruído
De mansinho
E deixa ao passar

No ar um silêncio, nos sentidos
Como um vinho
Que me faz lembrar
Antigos cantos proíbidos
De se cantar

Por quem, no meu corpo
Os mistérios
Mais escondidos
Teima em acordar
Há teima em acordar

Por esses dias que me fugiram
Por entre os dedos sem se deter
Como essa chuva a cair na rua sombria e nua
Sem eu saber

Talvez só por estarmos sós
Esta noite em nós
Insista em nos levar, p'lo ar, p'lo ar
P'lo ar...


Adelaide Ferreira

2 comentários:

Vieira Calado disse...

Uma voz afinada...

de certeza!

Um abraço

Menina do Rio disse...

\há sempre uma canção chovendo em nós.
Sempre bom te ver e rever...
Beijos